facebook twitter instagram
Portal de Turismo de
Orleans

Orleans


{{previsaoTempo.dia1.diaSemana}} {{previsaoTempo.dia1.condicao}} min {{previsaoTempo.dia1.minima}} / max {{previsaoTempo.dia1.maxima}}
{{previsaoTempo.dia2.diaSemana}} {{previsaoTempo.dia2.condicao}} min {{previsaoTempo.dia2.minima}} / max {{previsaoTempo.dia2.maxima}}

Apresentação

Por ocasião do casamento de Suas Altezas Imperiais, a Princesa Isabel Cristina Leopoldina Augusta Michaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e o Conde d´Eu, ocorrido em 15 de outubro de 1864, foi determinado pelo Imperador Dom Pedro II e pela Imperatriz Teresa Cristina um dote de terras cuja macro localização foi estabelecida por ato assinado em 17 de outubro de 1870, fixando em 98 léguas a serem escolhidas nos estados de Santa Catarina e Sergipe.

Foi formada uma comissão para selecionar e demarcar uma gleba de terras destinada a implantar uma colônia que mais tarde denominou-se Grão-Pará.

Esta equipe de engenheiros e agrimensores, após examinar as áreas alternativas na região do vale do Rio Araranguá e no Vale do Rio Tubarão, opinou por esta última tendo em vista a descoberta de carvão mineral nas imediações e já existir planos para a construção de uma estrada de ferro margeando o Rio Tubarão.

Aprovada pelos Príncipes a gleba sugerida, iniciaram em 1881 a medição de uma gleba de 12 léguas, que ocupava o espaço entre os rios Tubarão e Braço do Norte, onde hoje se situam os municípios de Orleans, parte de São Ludgero, Grão-Pará, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, abrangendo ainda parte dos municípios de Anitápolis, Armazém, São Martinho e São Bonifácio.

A Colônia Grão-Pará foi criada, em 1882, para promover a ocupação das terras com colonos imigrantes e nacionais. Iniciada a distribuição das terras aos imigrantes italianos, alemães, letos e poloneses desenvolveu-se paralelamente à construção da estrada de ferro para atender principalmente a região carbonífera.

A Escolha do local e do nome foi então por ocasião da visita de Sua Alteza o Conde d´Eu, numa viagem especial pela Estrada de Ferro, no dia 26 de dezembro 1884, que ele decidiu pela escolha dos engenheiros da empresa, apontando o local abaixo da ponte férrea sobre o Rio Tubarão. A escolha anterior apontava para um local entre os Rios Oratório e Laranjeiras, o qual, segundo os engenheiros da empresa, estaria muito sujeito a enchentes.

Ao visitar o local, canteiro de obras da estrada de ferro, declarou então o Conde d'Eu Aqui nascerá uma cidade com o nome de Orleans. O nome foi uma homenagem a sua própria família da nobreza de França. A escolha do nome e de sua localização determinou a tomada de grandes providências, já em 1885, com a abertura de ruas, venda dos primeiros lotes e construção da Capela nas imediações da estrada de ferro.

 

Imagem ilustrativa região turística Encantos do Sul

Encantos do Sul

Colonizada por açorianos, esta região mescla o turismo histórico de Laguna – terra de Anita Garibaldi, com as belas praias de Imbituba e Garopaba, conhecidas internacionalmente pela qualidade de suas ondas. Imbituba ainda oferece a observação de baleias que atrai milhares de turistas de todo o Brasil. Outra opção é visitar, em Criciúma, a única mina de carvão aberta a visitação no país ou se deliciar em estâncias hidrominerais de Gravatal que completam esse incrível roteiro de encantos.

Saiba mais sobre a região Encantos do Sul acessando o
IDMS de Orleans
Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável
0,000
Borracharia, oficinas, clínicas, farmácias, imobiliárias, guias de turismo, telefones úteis, etc... Conheça o guia completo de serviços de Orleans.
Saiba Mais

COMO CHEGAR

PRINCIPAIS DISTÂNCIAS

Florianópolis, SC Ver mapa >
Blumenau, SC Ver mapa >
Joinville, SC Ver mapa >
Chapecó, SC Ver mapa >
Lages, SC Ver mapa >
Criciúma, SC Ver mapa >
Porto Alegre, RS Ver mapa >
Curitiba, PR Ver mapa >
São Paulo, SP Ver mapa >
Brasília, DF Ver mapa >